Eu não tenho medo da morte

 

F Pagura II

Por Federico Pagura

Edición en Portugés

 

“Não tenho medo da morte.

Medo tenho é da vida

sem sentido

que não se arrisca por nada

e que alimenta suas horas de egoísmo.

 

Não tenho medo da morte.

se há de ser o alto preço

de uma entrega;

Medo tenho é dos anos

que se acumulam em vão,

como areia.

 

Não tenho medo da morte,

morte de rica semente

que germina;

Medo tenho é do ocaso

de uma vida interminável

e vazia.

 

Não tenho medo da morte

quando se vive por outros,

injustiçados;

Medo tenho é do engano

de um paraíso de prazeres

e estupidez.

 

Não tenho medo da morte

porque aprendi a olhá-la

cara a cara

nas crianças que morrem de fome,

nas mulheres oprimidas

e humilhadas.

 

Não tenho medo da morte

porque nestes tristes anos

ela tem se mostrado

nos olhos suplicantes

de homens rudes, sadicamente

torturados.

 

Não tenho medo da morte

porque escolhi o caminho de um Viajante,

que por amor a todos,

viveu e se deu sem reservas,

integralmente.

 

Não tenho medo da morte

porque se chego a morrer

em minha cruz

alguém me ilumina o caminho

e abre o portal para o Reino

da Luz.

 

Vamos irmão, cruzemos

o vale escuro e profundo

do temor.

Segurando já em sua mão

semeemo-nos no mundo

por amor.” + (PE)

 

Traducción Prof. Sérgio Marcus Pinto Lopes Tradutor e Intérprete

http://www.terrafirmerevisores.com.br/

SN 242/16

 

Anuncios

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s